terça-feira, 21 de maio de 2013

A trágica epidemia de varíola em 1887 de São Simão


Janeiro de 1888. Ao tentar encontrar o óbito de meu trisavô Pietro Polo em São Simão (onde sei que a família também morou), encontrei um registro impressionante. Ao contrário dos registros comuns, a epidemia obrigou o vigário P. Angelo Jose Philidory Torres a registrar de forma resumida e específica a tragédia que se abateu sobre a então principal cidade da região, maior que a pequena Ribeirão Preto:

"Nota= No dia nove de Setembro ultimo, foi esta Villa accomettida pelas bexigas; a população retirou-se quase toda ficando somente na villa os desvalidos de meios para fugir, alguns negociantes levados mais pelo interresse do que pela philantropia, a colonia de estrangeiros que trabalhavão na nossa Matriz e o vigário da parochia e dois medicos que a bem da humanidade não recuaram diante de terrível morbo e combateram-no com tanta energia e intellygencia que em menos de tres meses puderam dar alta a todos os doentes do  Lazareto e  declarar extinta a doença variola. O numero de acometidos elevou-se a noventa e quatro e trinta e nove foram as vitimas. Si em fim de Dezembro findo pudemos organizar uma lista exacta, quanto é possível em semelhantes casas das que sucumbiram a fatal doença e foram enterrados em um cemitério ad hoc, a qual vai transcripto n´este livro de obitos par servir em caso de necessidade"

A tabela na impressionante e histórica imagem abaixo:





Nenhum comentário:

Postar um comentário